Oculta

Tenho vergonha
Apenas não aceito
Mostro apenas o riso
de um rosto já feito

Um riso que sei de cor.
Um riso decorado.
Um riso sem ternura
Um riso chorado

Da lagrima tenho medo
Medo meu e de mais ninguém.
Aos outros o sorriso
Um viva ao falso riso que veem

Um choro doido
Um choro calado
Um choro em silêncio
Um choro não mostrado

E então a lagrima escorre
e o medo me faz querer esconder
Não aceito a minha fraqueza
Escondo as dores de ser.

Choro entre a espuma
Choro ao me molhar
Choro em meu banho
Choro para não me ver chorar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *